Home Publicações Gestão Municipal: quinze meses de preparação e treino.

Gestão Municipal: quinze meses de preparação e treino.

Por Ivanaldo Fernandes Costa Júnior

Passaram quinze meses da gestão Alysson Bezerra, o que representa mais de 30% do período designado pelo povo. Tempo suficiente para uma avaliação.

Devido às circunstâncias pandêmicas de 2021, a gestão do prefeito Alysson não precisou enfrentar os principais desafios em termos de execução das políticas em Mossoró. Em 2021, portanto, constituiu um
período de aprendizado e preparação que nenhum outro recém eleito teria, salvo aqueles que estavam iniciando sua experiência gerencial. Agora, o jogo, analogia para a execução das políticas públicas, deve ser jogado.

Obviamente, as circunstâncias impostas pela pandemia não foram desejadas por ninguém. Mas, é fato facilmente reconhecido que a gestão municipal se beneficiou, porque não precisou executar as políticas públicas municipais. Todas as atenções estavam voltadas, merecidamente, para o controle da pandemia.

Agora, estamos em 2022, o improvável período de carência acabou, a comunidade espera que os serviços funcionem em sua integralidade e plenitude. A julgar pelo percentual de reajuste do piso dos trabalhadores da educação e os focos de insatisfação da categoria, além da quantidade de escolas sem condições de funcionar, os sinais não são nada animadores.

Em 2021, as escolas não funcionaram com aulas presenciais, quase todos os equipamentos sociais estiveram fechados e a saúde esteve direcionada para o controle da pandemia. No único teste em que foi realmente exposto, a gestão municipal não correspondeu, quando tinha recursos para isso: executar centenas de obras com recursos de emendas do deputado @beto.rosado e do FINISA, da ex-prefeita @dra.rosalbaciarlini, Mossoró deveria ter sido transformada em um canteiro de obras.

Esse registro é apenas um resumo. Não estamos falando, por exemplo, dos compromissos constantes no Programa de Governo, que já deveriam estar sendo cumpridos e não estão sendo sequer sinalizados.

As coisas não estão indo bem. Os cidadãos e a gestão municipal podem contar com nossas sugestões e colaborações, além das cobranças e fiscalizações, que representam uma forma importante e necessária de contribuição. Não torço pelo pior, espero que tudo dê certo, apesar dos sinais negativos.

—————
*Doutor em Administração, professor da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte e vereador pelo Partido Progressistas.

Outras postagens

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você concorda com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Mais informações